terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

CONFISSÃO COMUNITÁRIA! Uma praga para a espiritualidade

Iniciamos hoje o Período Quaresmal, que por meio da oração, da penitência e da caridade, nos prepara para a celebração da Páscoa do Senhor.

Neste período, e especialmente quando a Semana Santa fica mais próxima, os fiéis buscam os sacerdotes a fim de pedirem para si o Sacramento da Reconciliação (confissão sacramental). Isso é um ato muito louvável, pois a confissão sacramental nos aproxima de Deus, somos aconselhados pelos pastores de almas, e nossa alma se alivia dos pecados. Todos os Santos são unânimes sobre os benefícios da confissão regular.

No entanto, muitos padres preferem ficar em suas camas após o almoço, e tirarem uma "siesta" que dura até altas horas da tarde. Outros preferem ficar em seus "gabinetes". E pasmem, alguns tem preguiça de ficar a ouvir as "besteiras" que o povo chama de pecado. Daí já viu, né! Na época da Quaresma, assim como a dengue no verão, se prolifera uma praga espiritual chamada "CONFISSÃO COMUNITÁRIA".

Nessa modalidade de confissão, que é válida apenas em casos extraordinaríssimos, o fiel não tem os seus pecados ouvidos individualmente, e muito menos recebe o acoelhamento espiritual devido.

Vamos ver a explicação do Pe. Paulo Ricardo sobre a confissão comunitária?




RESUMINDO:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado suas opniões são muito importantes para nós!