sexta-feira, 20 de novembro de 2015

O Papel fundamental de São José na história de Jesus

Por João Marcos Borba*

Muitos questionam a necessidade da parte de Deus que para encarnar seu filho Jesus ele tivesse de usar meios humanos para trazer seu filho ao mundo. Deus em sua infinita sabedoria envia seu filho Jesus na condição humana, isso implica que como humano Jesus precisa nascer de forma humana, ser gerado por uma mulher e dela nascer. Então nesse primeiro momento a necessidade de uma mãe, nesse caso Maria, é algo realmente necessário para assegurar a natureza humana de Jesus. Mas na realidade Jesus precisava de um pai, ja que Deus Pai por intermédio do Espírito Santo foi quem o gerou no ventre da Virgem Maria? Podemos ter variadas respostas para essa pergunta, mas aqui abordaremos o princípio que Deus fez de José um ator fundamental na história de Jesus.

É sabido por todos que sem um marido Maria seria acusada de adultério e seria apedrejada segundo a lei de Moisés, então pode-se dizer que esse seria a primeira função de José, ou até mesmo a mais conhecida, Aquele que assegurou a segurança da Maria e seu filho Jesus, e isso se repete no episódio da fuga para o Egito, José é o Protetor da família de Jesus. José é chamado muitas vezes de Justo, título que foi herdado por Jesus e Ele mesmo foi chamado assim por Pilátos e sua Mulher no episódio da paixão. José é o justo da herança de David e essa herança é assegurada a Jesus, por causa do justo José Jesus é filho de David, título messiânico popular entre os pobres que seguiam Jesus, mas surge a questão, Deus é o pai legítimo de Jesus e não José! Porém o direito da época assegura José como pai legal de Jesus o que constituia o pai legal era o que tomava a criança em sua proteção e lhe impusesse o nome de sua casa. José agora assegura a Jesus a realeza de David, Jesus por direito legal é Rei dos Judeus pois tem linhagem de rei, e não Heródes que não era rei por direito, mas sim por imposição do Imperador Romano.

O evangelista Mateus chama José de justo (Mt 1, 18) e realmente ele o é, pois acima de tudo ele temia a Deus com imenso amor. José era um dos poucos homens que "Achava prazer na lei do Senhor Deus" como vemos no livro dos Salmos. A princípio José quando toma consciência que Maria está grávida ele usa da justiça. Primeiro ele poderia denúnciar Maria as autoridades religiosas, mas assim não o fez e ele poderia levantar escândalo a sua família, mas assim não o fez. Antes por temor a Deus e acreditando nela, em Maria, ele se encheu de temor pois não queria casar-se com aquela que foi intrumento do Altíssimo. Ele se achando indigno tomar para si aquela que foi totalmente usada por Deus, ele toma por decisão apartar-se dela em segredo. Mas Deus se usa de um anjo no sonho de José para lhe fazer ver Maria como sua esposa, sua protegida. Deus usa os sonhos de José por duas vezes, e ambas são para a proteção da Vrgem e de seu filho Jesus.

Neste breve texto podemos ter um pouco de noção da importância de São José no gênese de Jesus, e podemos achar nele várias definições entre elas: Pai, Justo, Casto, Temente a Deus e Corajoso, pois ele podia abandonar os planos de Deus, como é escolha de cada um, mas mesmo sem saber desta expressão, ele "Tomou sua cruz e seguiu". José pai adotivo de Jesus, da linhagem de Reis, patrono da Igreja Católica, modelo de Pai, instrumento do Altíssimo e um simples carpinteiro, um homem que em sua simplicidade e em seu amor a Deus soube cumprir sua missão com modéstia, mas tão grandiosa que foi fundamental para o plano salvífico de Jesus.
_______________________________________________________


* João Marcos Borba, 18 anos de idade, está cursando Educação Física na UFPE. Reside na Cidade de Bezerros, Diocese de Caruaru-PE. Atua na Reitoria de São Pedro, sendo, também, vocacionado da Ordem de Santo Agostinho (Província Agostiniana do Brasil).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado suas opniões são muito importantes para nós!